segunda-feira, 17 de março de 2014

A Alquimia e os Traumas Intrauterinos


 
A alquimia, através do sistema brasileiro de florais Joel Aleixo, trabalha com o conceito de traumas intrauterinos. Esses são traumas que atingem o bebê durante o período gestacional. Para a alquimia, isso pode ocorrer não só nos nove meses de gestação física, mas também nos três meses que antecedem a gravidez, já que para nós alquimistas a gravidez dura o período de um ano: três meses de gravidez espiritual, quando o espírito entra na matriz feminina e nove meses de gravidez física, quando este espírito se torna carne através da gênese do gameta.

Os traumas intrauterinos podem ser gerados por qualquer stress que a mãe sofra durante a gestação. As emoções da mãe se convertem em química cerebral e geram hormônios que são jogados na corrente sanguínea. A química em si não afeta o bebê, pois é barrada pela placenta, mas as emoções fazem química e também onda e as ondas não são barradas pela placenta. No bebê enquanto embrião e feto, esses traumas tendem a se acumularem dentro dos ossos formando pequenos cristais sutis. Isso é um mecanismo de defesa da natureza para proteger esse novo ser que surge. Existe a tendência dos traumas se acumularem no interior dos ossos, mas os traumas ocorridos nos três primeiros meses de gestação física podem causar problemas mais sérios no futuro, pois podem atingir os órgãos exatamente no momento de sua formação.

Já nos primeiros momentos de vida ocorre a eliminação dos traumas mais superficiais através do mecônio. Os demais traumas tendem a ser eliminados dos 0 aos 14 anos quando ocorre o processo de crescimento e expansão dos ossos. A partir dos 14 anos a estrutura física do corpo humano tende a se consolidar e fica mais difícil a eliminação de traumas e é aí que mora o problema, pois traumas profundos podem gerar sérios problemas de saúde e até afetarem o comportamento de uma pessoa.

As doenças da primeira infância, as quedas, baques e consequentes hematomas em crianças, e até mesmo fratura de ossos podem ser interpretadas com escapes para a saída dos traumas. Embora nos preocupemos com doenças que surgem sem explicação em uma criança, muitas vezes essas doenças são eliminação de traumas. Quanto mais profundo o trauma, mais graves são as doenças. O importante é que através dessas doenças a criança está eliminando o trauma e evitando doenças muito mais graves na vida adulta. Ocorre que muitas vezes essas doenças vão da mesma forma que vieram, sem explicação. A alquimia entende que isso significa que o trauma foi eliminado.

Nos adultos, nem todo sintoma pode ser trauma, mas devemos desconfiar daqueles sintomas que não desaparecem com tratamentos, seja na medicina convencional ou na medicina alternativa. Neste caso, é possível que este sintoma seja oriundo de um trauma intrauterino. Doenças e até determinados comportamentos, também podem ser traumas.

A alquimia, através do sistema de florais Joel Aleixo, possui florais específicos para limpeza de traumas intrauterinos. Os florais de traumas são poderosos detergentes que auxiliam o corpo a liberar os traumas.

Para nós alquimistas é comum realizarmos os protocolos de limpeza de traumas para todos que nos procuram para tomar floral, pois entendemos que por mais tranquila que seja a gravidez de uma mãe, é difícil que nada atinja o bebê. Considerando-se que cada um tem traumas em maior ou menor intensidade, os florais de traumas intrauterinos são sempre úteis, sobretudo para aqueles que passaram por um processo encarnatório tenso em virtude da gestação de sua mãe. Imaginem aqueles que foram rejeitados pelos pais, pais com dependência química, alcoólatras, lares tensos por desacordos, pais em situação de guerras, etc.

 Aqui tratamos dos traumas intrauterinos de forma geral, não desprezando a amplitude do tema e pormenores que pela sua complexidade decidimos não discutir, como por exemplo, os traumas gerados nos três meses que antecedem a gravidez física. Este texto serve apenas para apresentar o tema, elucidar questões primárias e tornar público a existência desses traumas, bem como um método alternativo para tratá-los.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A cura pela alquimia

Artigo publicado no site somos todos um que divulga e esclarece alguns questionamentos sobre o trabalho alquímico que realizamos.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

A vida é feita de ângulos

A vida é feita de ângulos. Cabe saber se estamos construindo os ângulos corretos e se o nosso corpo, nossa matéria, corresponde com a química necessária para realizá-los. Importante é que consigamos desapegar com tranquilidade de velhos ângulos ou quando tivermos que mantê-los possamos fazê-los partindo de um quantum a mais de onde estavamos anteriormente.

Dispersão e dificuldade de aprendizagem em crianças podem ser tratadas com terapias naturais



É prática comum atualmente o uso indiscriminado de medicamentos para crianças e adolescentes como solução para a chamada hiperatividade ou déficit de atenção escolar. Preocupa-nos a forma com que são recomendados esses medicamentos para crianças cada vez menores com o intuito de controlar temperamentos e comportamentos que muitas vezes são até naturais para uma criança.
Em nossa prática terapêutica observamos que muitas crianças se utilizam de medicamentos fortes, embora acreditemos que muitas delas não necessitariam. Ao investigar suas vidas percebemos que muitas ficam sozinhas tendo que dar conta de responsabilidades que não são próprias a suas idades. Se por um lado não podemos esquecer que os pais precisam trabalhar para prover, por outro nos questionamos se essas crianças estão preparadas para cuidar de suas próprias vidas? Como pode uma criança assistir todas as novelas, ir dormir depois da 00h e ter disposição para estudar no dia seguinte? Será que ao invés de remédios essas crianças e adolescentes não deveriam ter adultos limitando coisas em suas vidas? E se realmente a criança apresenta um problema, não seria melhor tentar uma terapia natural antes ou paralelamente à administração de um tratamento mais agressivo?
Recentemente tratamos com florais um adolescente de 16 anos que se trancava no quarto, só chorava e tinha dificuldade de se socializar na escola e uma menina de 13 anos com dificuldades para se adaptar em uma nova escola. Hoje eles não são nem a sombra do que foram no passado. Diferentemente de nós adultos, crianças e adolescentes respondem às terapias naturais com uma velocidade que nos impressiona. O mercado oferece uma gama de opções: acupuntura, florais, reiki, dentre outras. Nos casos de dificuldade de aprendizagem sugerimos os compostos florais brasileiros da linha Joel Aleixo como o Concentração (Silifocum) que auxilia a eliminar o excesso de informações que não são o foco no momento, concentrando a atenção naquilo que é realmente importante para o momento de aprendizagem; e o Força (Musculatum), que é rico em vitaminas e é capaz de repor alguns dos aminoácidos que nosso corpo não produz e que nem sempre  adquirimos através da alimentação, o que ajuda a criança a colocar os pés no chão para realizar as tarefas de aprendizagem. Não se deve descartar o auxílio de um Terapeuta Floral experiente nos casos mais graves e crônicos, pois ele saberá a melhor maneira de se utilizar das essências florais sutis para atingir a causa primária do problema, acelerando e potencializando o tratamento a partir do fortalecimento da Base e do Prazer pela Vida.
Devemos refletir seriamente sobre como conduzir os problemas apresentados pelas crianças, pois nem sempre a melhor solução para problemas de ordem social pode ser levada a cabo pelos métodos da medicina ortodoxa. Não é a toa que desde os tempos antigos escutamos que crianças são seres puros, porque ainda se encontram muito mais perto de suas essências ficando, portanto, mais fácil acessá-las por meio das energias sutis e vibrações naturais.

De Janaína Tavares e Anderson Kohout : Assessores em florais brasileiros pelo sistema Joel Aleixo, Astrólogos e Tarólogos Alquimícos.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Florais auxiliam na manutenção do bem-estar cotidiano

 

Com a correria do cotidiano no universo das grandes cidades, muitas vezes não nos apercebemos que em torno de nós a natureza determina seus ritmos aos quais estamos submetidos. Ora, é a nossa relação com os ciclos naturais que determinará, por exemplo, a velocidade de nosso processo de envelhecimento. Esse é um conhecimento que carregamos através de nosso DNA ancestral.
Mas hoje o que fazemos? Dormimos tarde, acordamos tarde, nos alimentamos mal, nem sempre cultivamos pensamentos coerentes com aquilo que realmente desejamos ser.  Somos levados pela maré dos desígnios sociais. Então pensamos, porque não nos aproveitarmos daquilo que a natureza nos oferece para vivermos melhor?
É nesse sentido que os florais podem nos ajudar. Através de sua sutileza, as flores tem a capacidade de buscar nos lugares mais recônditos da alma aquele comportamento que necessitamos mudar, transformar padrões de atitudes ou mesmo buscar aquela potencialidade inerente ao nosso ser de que não nos lembrávamos ou nem percebíamos. Em suma, reestabelecer o contato com o eu interior e trazê-lo a consciência.
A flor de alfazema, por exemplo, administrada como Floral Alquímico, tem o potencial de nos auxiliar a discernir sobre a realidade, pois atua diretamente no sistema nervoso central. Nos ajuda na tomada de decisões combatendo a insegurança mental. A artemísia desperta a vontade de agir dando forças as nossas ideias, através de sua ação fortalecemos a consciência do corpo físico e de nossa relação com a matéria.  A primavera dinamiza todos os chacras e meridianos nos estimulando a trazer à prática aquilo que refletimos. Ajuda-nos a renovar a esperança de encontro com o novo.
Assim, os Florais Alquímicos nos auxiliam a harmonizar os nossos biorritmos internos de acordo com os biorritmos naturais, trazendo equilíbrio e bem-estar ao corpo e a mente.

terça-feira, 22 de maio de 2012

As três substâncias alquímicas



“Entre todas as substâncias do mundo existem três cujos corpos sempre vemos reunidos em cada um dos seres. Estas três substâncias –enxofre, mercúrio e sal- ao se unirem, compõem os corpos, aos quais nada poderá ser acrescentado, exceto o sopro da vida e o que com ele se relacione.(...)” Paracelso. A chave da Alquimia. p. 165. 1973. Editora Três.

Para a alquimia tradicional, aquela defendida por Nicolas Flamel e Paracelso, médicos medievais, tudo que é matéria se densifica a partir de três substâncias: O súlfur, o sal e o mercúrius dentro do espectro solar. Significa dizer que o ser humano também é constituído por essas três substâncias e cada uma delas traz características que são próprias à sua natureza. 

Primeiramente o espectro solar ou visível está relacionado à extensão dos cumprimentos de onda onde a matéria se manifesta através das sete cores do arco íris. Para os clarividentes que podem enxergar à aura das coisas e dos seres, nos seres humanos a aura é composta por essas sete cores e se refere ao nosso corpo mais sutil. Para a alquimia, as três substâncias também estão relacionadas ao funcionamento de nosso corpo onde se apresentam correspondências com órgãos e glândulas, mas isso será abordado em texto posterior quando trataremos dos quatro elementos alquímicos que são responsáveis pelo movimento do corpo. 

O súlfur como substância transita entre as cores vermelha, laranja e amarela da aura e está relacionada com a sexualidade, sensualidade, segurança, confiança e emoções como a raiva, dentre outras. Situa-se na região do umbigo para baixo e diz respeito a nossa capacidade de iniciativa e realização.
O sal transita entre as cores amarela, verde e azul e se concentra, sobretudo na área do peito (coração) abrangendo os sentimentos. É responsável pela integração do súlfur com o mercúrius, da razão com a ação, do pensar com o agir, entre outras coisas. 

O mercúrius abrange toda a área do pescoço para cima (a cabeça) e rege o nosso intelecto, nossa capacidade de discernimento, reflexão, intuição e sensibilidade. Transita entre o azul índigo e o violeta.
As experiências que vivenciamos são guardadas na aura como memória nas áreas correspondentes a cada tipo de experiência. Muitas vezes essas experiências se configuram como trauma e acabam por esconder nossos verdadeiros potenciais transformando nossa vida em um verdadeiro caos gerando medos, dúvidas e inseguranças. 

Atualmente no mercado existem remédios de compostos de flores que atuam em nosso corpo e aura em ressonância com o que ali guardamos. Esses remédios têm a capacidade de promover limpezas nestas substâncias e eliminar “sujeiras”, traumas ou experiências que não foram bem processadas por nós ou que ficaram mal resolvidas. Muitas vezes não temos se quer consciência destas experiências que ficam maculadas em nossa aura gerando, por exemplo, determinados comportamentos ou até mesmo doenças. Essas sujeiras podem ser eliminadas através dos emunctórios naturais ou através de sonhos a partir da toma de florais. 

A limpeza através dos sonhos é uma das possibilidades e pode ser um dos caminhos, mas não o único. Essas limpezas ocorrem em geral quando os compostos florais feitos a partir de flores e ervas naturais são tomados junto como florais sutis com flores que dão o suporte cotidiano para conseguirmos mover as energias em nosso corpo e mente para promover as limpezas e transformar aquilo que necessitamos.

Em suma, a ideia é que os compostos de flores e ervas promovam as limpezas mais densas e os florais sutis, que são preparados em consulta por um terapeuta alquimista, promovam as limpezas e mudanças mais sutis.

No Brasil, a alquimia prática foi retomada há mais de vinte anos pelo alquimista Joel Aleixo que fabrica os remédios florais aqui mencionados baseado na alquimia antiga e concebidos sob os preceitos alquímicos tradicionais. A despeito da formalidade deste texto e da forma como os conhecimentos são transmitidos socialmente, agradecemos a providência que através deste alquimista não permitiu que esse conhecimento se perdesse, mas o mérito maior é sem dúvida a oportunidade que temos e que tantas pessoas têm, seja através de sua escola ou através de seus terapeutas alquimistas, de reencontrar o equilíbrio e viver uma vida mais feliz.